Silêncio de lantejoulas.

Da minha janela.

Súdita que sou, brilhante, imersa em uma sociedade de lantejoulas, eu nunca havia percebido: o silêncio.

Dentro do silencio REINA a consciência. Ela situa o que tenho a minha volta. No silêncio, estou no meu trono.

No início é estranho. Nenhum ruído me dirige, nenhuma sensação me delimita. É preciso me tornar minúscula para me reencontrar nessa desolação átona dos elementos da vida.

Depois, acabo descobrindo o infinitamente pequeno. Eu não existo no facebook. Eu não existo no instagram. Eu me reinvento dentro de mim mesma. Eu sou mais feliz sem selfies. Eu sou mais feliz sem esperar os likes do que sou, de onde vou, com quem vou.

Ao contrário, eu gosto e me satisfaço no meu infinito particular. Sem intervenção externa. Isto me liberta. Me deixa leve.

Eu me acostumo com a minha presença, em si. Eu me observo sem me entediar. Vivo a explosão que há em mim mesma. Fortaleço-me na minha existência, percebo minhas sensações.

E é no fundo de mim mesma, em minha interioridade, em meu mistério, que encontro o Outro.

Rebeca 8 anos

“Os filhos são herança do Senhor,
uma recompensa que ele dá. Como flechas nas mãos do guerreiro
são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem
que tem a sua aljava cheia deles!” Salmo 127

Caminhada, caminhando, caminho…

“O que vale na vida não é o ponto de partida
e sim a caminhada.
Caminhando e semeando,
no fim terás o que colher.”

Cora Coralina

2016….

“A felicidade MORA nos DETALHES, no mínimo…aprendendo isso num mundo que prioriza o máximo!”

Detalhes em gentileza, educação, respeito, amor ao próximo, na brisa, no cheiro do “cangote” dos meus filhos ou numa rosa, no por-do-sol, que faz um espetáculo todos os dias. Numa oração, no silêncio que fala alto, aonde estiver, que a alegria seja de dentro para fora, da essência, pois assim permanece!

Feliz 2016….

Universo sem fim.

Família é a maior e mais importante escola da vida!

É onde se forma o caráter e o coração de um indivíduo.

Cada novo rosto
reTRATADO um universo sem fim.

Oportunidade rara em observar a riqueza
criativa da qual somos feitos.

Constituídos dos mesmos elementos,
Dois olhos, um nariz e uma boca.

Tamanha diversidade. Beleza única.

Não fora estes momentos registrados, quem poderia mostrar para a Marina a ternura que acompanhou tal espera?

Um click pode mudar tudo.

Inclusive eternizar o tempo que não volta, mas faz história. Ilustre a sua narrativa. Eu registro!

Felicidade concreta!

Flores, cores, sabores… vejo estas meninas desabrochando para o mundo, para as novas descobertas e desafios…

Cada uma com sua singularidade, mas todas, todas com a alegria contagiante, a risada solta, os sonhos aflorando para um mundo de possibilidades!

Melhores amigas, formando um arco-íris completo. A vida se descortinando, tudo por acontecer. Suas diferenças são o que as complementam.

Suas nuances, suas matizes vão ajudar construir novo tempo. Elas percorrerão muitos caminhos, mas a base sólida que as faz flores do mesmo bouquet, são a base deste arrANJO.

Gostaria de voltar a fotografar esse grupo. Olhar em suas expressões o desenho do tempo.

Registrar pelas minhas lentes os amores escolhidos, as barrigas que um dia crescerão, os filhos que nascerão. Então retornar a esse bouquet e ter a oportunidade de rever a explosão deste colorido ímpar, que um dia minhas lentes revelaram.

Que tal propor aos amigos o registro, de tempos em tempos, da evolução do grupo no decorrer da jornada? Com capa bonita e o título você pode escolher. Eu sugiro: “O livro dos Tesouros”.

Registre cada e todos os momentos!

Um click pode mudar tudo!