Silêncio de lantejoulas.

Da minha janela.

Súdita que sou, brilhante, imersa em uma sociedade de lantejoulas, eu nunca havia percebido: o silêncio.

Dentro do silencio REINA a consciência. Ela situa o que tenho a minha volta. No silêncio, estou no meu trono.

No início é estranho. Nenhum ruído me dirige, nenhuma sensação me delimita. É preciso me tornar minúscula para me reencontrar nessa desolação átona dos elementos da vida.

Depois, acabo descobrindo o infinitamente pequeno. Eu não existo no facebook. Eu não existo no instagram. Eu me reinvento dentro de mim mesma. Eu sou mais feliz sem selfies. Eu sou mais feliz sem esperar os likes do que sou, de onde vou, com quem vou.

Ao contrário, eu gosto e me satisfaço no meu infinito particular. Sem intervenção externa. Isto me liberta. Me deixa leve.

Eu me acostumo com a minha presença, em si. Eu me observo sem me entediar. Vivo a explosão que há em mim mesma. Fortaleço-me na minha existência, percebo minhas sensações.

E é no fundo de mim mesma, em minha interioridade, em meu mistério, que encontro o Outro.

2016….

“A felicidade MORA nos DETALHES, no mínimo…aprendendo isso num mundo que prioriza o máximo!”

Detalhes em gentileza, educação, respeito, amor ao próximo, na brisa, no cheiro do “cangote” dos meus filhos ou numa rosa, no por-do-sol, que faz um espetáculo todos os dias. Numa oração, no silêncio que fala alto, aonde estiver, que a alegria seja de dentro para fora, da essência, pois assim permanece!

Feliz 2016….

Luxo…

Luxo é tempo, espaço e silêncio.

Luxo não é sinônimo de riqueza e pretensão.

Luxo é ter paz de espírito.

Luxo são pequenos detalhes que nos fazem
sentir bem.

Exemplo: tomar um café com vista para o mar.

Luxo é a mão estendida.

A contemplação de um anoitecer.

O desenho que os pingos de chuva formam
na janela.

Uma flor.

Pode ser a escolha do nome para o filho(a).

O silêncio absoluto em um mundo dominado pelo
barulho, pelo som, pelos ruídos.

Generosidade é um luxo.

O luxo está nas pequenas coisas
que,

na realidade, são enormes
como:

o amor ao próximo,

o perdão,

a dignidade.

“O” amor.

“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor,
serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine.

Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento,
e tenha uma fé capaz de mover montanhas,
mas não tiver amor, nada serei.

Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado,
mas não tiver amor,
nada disso me valerá.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.

O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão,
as línguas cessarão, o conhecimento passará.

Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos;
quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.

Quando eu era menino, falava como menino,
pensava como menino e raciocinava como menino.
Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.

Agora,
pois,
vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho;
mas,
então,
veremos face a face.

Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.

Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor.
O maior deles, porém, é o amor.”

1 Coríntios 13

Uns

E com um sopro tudo voa…

Uns vão
Uns tão
Uns são
Uns dão
Uns não
Uns hão de
Uns pés
Uns mãos
Uns cabeça
Uns só coração
Uns amam
Uns andam
Uns avançam
Uns também
Uns cem
Uns sem
Uns vêm
Uns têm
Uns nada têm
Uns mal
Uns bem
Uns nada além
Nunca estão todos

Uns bichos
Uns deuses
Uns azuis
Uns quase iguais
Uns menos
Uns mais
Uns médios
Uns por demais
Uns masculinos
Uns femininos
Uns assim
Uns meus
Uns teus
Uns ateus
Uns filhos de Deus
Uns dizem fim
Uns dizem sim
E não há outros

Uns – Caetano Veloso

Grandes tesouros…

Ouro Preto é uma fabulosa e linda cidade setecentista encravada num vale profundo das montanhas mineiras.

Por seu valor histórico e cultural, Ouro Preto foi decretada Cidade Monumento Nacional em 1933. Em 1980 a Unesco a declarou Patrimônio Cultural da Humanidade. Seu legado é maior que as fronteiras, sua essência é a própria essência do homem…

Tenho vívidas lembranças de minhas idas a Ouro Preto quando menina ainda, por morar em Belo Horizonte, as viagens a esta cidade nos finais de semana eram relativamente frequentes…esta durava cerca de uma hora, numa linda estrada, cheia de vales e montanhas, um rio bem largo, montanhas e cachoeiras… como geralmente íamos pela manhã para aproveitar o dia, a viagem em si já era uma viagem dentro da viagem…

Ouro Preto sempre surge como uma visão, uma miragem em meio à densa névoa matutina. De repente tem-se a impressão de estar em um universo à parte, por ser em si o maior conjunto barroco do mundo. Uma cidade setecentista em pleno séc. XXI.

A imagem se fez com o tempo, com a espera, com o ver ávido por Olhar!

Um click pode mudar tudo!

“Quando temos os grandes tesouros diante de nós nunca percebemos. E sabe por que? Porque os homens não acreditam em tesouros.”

Seja bem-vindo!

Bem-vindo(a)s!

Em 2003, quando me formei em fotografia profissional, na NESOP (New England School of Photography – Boston), criei o meu site: www.anna-alvarenga.com que contém informações profissionais.

Uma tarde trivial ficou eterna através de uma imagem clicada pelo meu pai. Tantas leituras são possíveis observando esta fração de segundo que voou. O que ele viu no passado se faz presente e hoje posso relembrar e reviver este instante, com meus filhos e com os filhos dos meus filhos, que um dia chegarão.

A imagem perpetuada de minha mãe tornou-se um tesouro e me fez acreditar que fotos contam histórias e ajudam a formar o caráter.

Uma imagem é um bilhete de viagem que cruza fronteiras, e, num click, podemos criar asas para voar!

Eu e minha família moramos cinco anos em Boston – MA. Foi um novo despertar em todos os sentidos: estudei a fundo todos os setores da fotografia, trabalhei com o analógico (filme), cameras 4×5, pequeno e médio formato, revelação de filme, impressão, história da fotografia desde L. Daguerre…; fazia estágios e comecei a trabalhar como assistente de fotógrafos renomados, como Lou Jones (www.fotojones.com) e Bruno Debas (www.brunodebas.com).

Com meus olhos estrangeiros, em uma pátria distante, a fotografia me ajudou a revelar em mim o sentido de resiliência que eu sempre admirei, e, com minha camera em punho, busquei novos entendimentos.

Além disto, conheci e mantenho contato com pessoas de todos os cantos do planeta, abrindo meu horizonte ainda mais de uma maneira extasiante!

Após 2 anos, me formei com honra ao mérito em todas as matérias (especialização em fotografia comercial e portrait), e me tornei não mais estagiária, mas assistente de fotografia na própria NESOP.

Tive a oportunidade na NESOP de conhecer o Robert, fotógrafo de casamento, que me convidou para ser sua assistente em um casamento em Boston. Trabalhamos um tempo em parceria, até que pouco tempo depois  veio meu primeiro grande trabalho autoral, naquele pôr-do-sol com a contra luz do vestido do véu da noiva, numa praia deslumbrante (Cape Cod), percebi um novo horizonte se descortinando!

Tive um click!! Era isto que eu queria para mim!

Wedding Cape Cod, MA

Brasil 2004, voltamos definitivamente para o Brasil, novo recomeço, nova oportunidade de exercitar a resiliência, o que vem sendo preparado desde que nasci.

Em São Paulo, abri meu próprio estúdio de fotografia. Abrangendo meu foco na área de famílias, gestantes, crianças, teenagers, portraits da vida!! Produzir editoriais de moda foi consequência. Acredito que uma fotografia conta uma história, é uma oportunidade única de re-viver momentos como uma gestação, os primeiros passos, um segundo filho, as crianças crescendo e florescendo! Isto é único e indescritível, por isto as imagens valem mais que mil palavras!! O meu entendimento de fotografia é de dentro para fora…técnica, quem quiser aprende com livros ou estudando, mas o Olhar, o sentir, o pré-sentir, vem do coração e da alma, este é o diferencial que busco para mim e para todos ao meu lado, especialmente você!