Arquitetura, design, estética – um convite para ver, além de olhar…

Dizem que a beleza está nos olhos de quem a aprecia. Cada olhar é único, por isto todos os detalhes não podem passar despercebidos…

A beleza está na textura. Na luz que bate. No teto. No chão. Em cada esquina…o olhar para ver, não apenas olhar.

A beleza está na simplicidade de um jardim. No contraste das cores. Na luz que entra pela janela. Na quietude quebrada apenas pelo canto dos pássaros…

“Autodefinição”

Ouço falar de Oscar Niemeyer desde criança, cujas obras conheci na lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte.

Igreja São Francisco de Assis, em Belo Horizonte, M.G.

Latino-americano, revolucionário, poeta. Apreciava sua coerência e modéstia. Comunista, generoso e firme, exilou-se em Paris durante a ditadura militar.

Para qualquer grande artista,o limite da expressão é a sua própria imaginação. Niemeyer foi ampliando esses limites ao longo de sua trajetória. Estudou Einstein e frequentemente o citava: “Das curvas é feito todo o Universo, o Universo curvo de Einstein”.

Sempre focado, ele parecia não se dispersar em questões secundárias.

Li que Niemeyer, aos 102 anos de idade, recebia um grupo de amigos toda semana, para aulas de cosmologia e astrofísica ministradas no seu escritório na Avenida Atlântica por um professor de física. Seu entusiasmo em aprender lembra um jovem estudante.

Era instigado, queria entender a estrutura do Universo, espaço sem fim, e os movimentos dos astros e dos planetas.

Museu de Niteroi

Niemeyer sempre projetou com aguda intuição: a história acaba nos ensinando que os movimentos de vanguarda aconteceram porque artistas certos conseguiram dar um passo adiante em relação ao establishment da arte.

Desde a Pampulha, Niemeyer parece avançar pelo desconhecido, alcançando o ineditismo.

Parecia haver uma inovação inquietante…

O edifício Copan, em São Paulo, é uma visão urbanística, com forte e elegante arquitetura, marco contemporâneo da cidade. A marquise do Ibirapuera, que Niemeyer desenhou para constituir-se num agradabilíssimo centro de convivência.
O MAC de Niterói, corajosa referência de cultura e arte na baía de Guanabara. A Catedral de Brasília, na qual se entra pelo subsolo, chega-se à nave, aberta para o céu.

Catedral de Brasília, D.F.

Arrepiando os preconceitos conservadores, Niemeyer sempre disse que a função mais importante da arquitetura é a beleza. Transformou a arquitetura na expressão reluzente da arte.

Essa é a arquitetura com que Niemeyer enriqueceu nossa arte e, por isso, será referência nos próximos séculos e provavelmente milênios.

Congresso de Brasília, D.F.


É dele esse belo poema, institulado “Autodefinição”, que sempre gosto de ler e considero uma fonte inspiradora:

“Na folha branca de papel faço o meu risco
Retas e curvas entrelaçadas
E prossigo atento e tudo arrisco
na procura das formas desejadas
São templos e palácios soltos pelo ar,
pássaros alados, o que você quiser
Mas se os olhar um pouco devagar,
encontrará, em todos, os encantos da mulher
Deixo de lado o sonho que sonhava
A miséria do mundo me revolta
Quero pouco, muito pouco, quase nada
A arquitetura que faço não importa
O que eu quero é a pobreza superada,
a vida mais feliz, a pátria mais amada.”

Oscar vai, Niemeyer fica.

Oscar Niemeyer, o artista, o arquiteto, o poeta, alma inspiradora…

Fotos: Google images. / Fonte de pesquisa: Wikipédia.